AJUDE O INSTITUTO GEM A EDUCAR AS CRIANÇAS NA PRESEVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE, P/ AJUDAR (93)8122-0233

AJUDE O INSTITUTO GEM A EDUCAR AS CRIANÇAS NA PRESEVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE, P/ AJUDAR (93)8122-0233

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

PMDB NOTICIA

Jader quer no leilão trecho até Santarém

Por meio de ofícios encaminhados ontem ao ministro dos Transportes, César Borges, e ao diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Luiz Macedo Bastos, o senador Jader Barbalho solicitou ao governo federal, em regime de urgência, que seja incluído no leilão de concessão da BR-163 o trecho de 370 quilômetros que vai de Miritituba, em Itaituba, até o município de Santarém. No modelo definido até agora pelo governo, a concessão da estrada vai apenas de Sinop, no Mato Grosso, até o distrito de Miritituba.
“É um absurdo excluir o trecho final da rodovia da proposta de concessão à iniciativa privada. É uma decisão que considero despropositada e sem nenhum cabimento”, afirmou Jader Barbalho. Para ele, a estrutura portuária já existente em Santarém recomenda a sua inclusão obrigatória na rota de escoamento da produção de grãos da Região Centro-Oeste. O trecho sul da mesma rodovia, que vai de Sinop à divisa com Mato Grosso do Sul, já foi levado a leilão. Teve como vencedora a Construtora Odebrecht.
Inicialmente, era intenção do governo conceder à iniciativa privada somente o trecho que vai de Sinop até a divisa com o Pará. Ou seja, a privatização ficaria restrita à extensão da rodovia localizada dentro do território de Mato Grosso. A pressão do agronegócio, e principalmente dos produtores de grãos do Centro-Oeste, pela busca de uma saída rodoviária pela Região Norte, porém, levou o Palácio do Planalto a estender a área de concessão até o município de Itaituba.
Para o senador Jader Barbalho, a decisão não deixou de ser um avanço, mas é ainda insuficiente e não atende os interesses da economia da região oeste do Pará e do próprio Estado. Jader considera que a inclusão da obra no Plano de Integração e Logística do Governo Federal já representa, por si só, um reconhecimento da importância que ela tem para a logística nacional. Não faz sentido, portanto – acentuou o senador – fazer a obra pela metade, deixando de fora o eixo rodoviário que vai de Itaituba a Santarém.
A própria presidente Dilma Rousseff, aliás, já tornou público esse reconhecimento. No dia 12 deste mês, às vésperas do lançamento da safra 2013/2014, ela classificou o trecho paraense da rodovia BR-163 como uma rota promissora para o escoamento de grãos do Centro-Oeste. “Nós vamos conceder, é importante que se diga, o trecho da BR-163 entre Sinop e o distrito de Miritituba, no Pará”, disse Dilma Rousseff, acrescentando: “Nós vamos conceder para a iniciativa privada e já tivemos inclusive manifestação de interesse na construção do trecho”. Em tom incisivo, a presidente afirmou que a concessão deve ser realizada “ainda em 2014”.
Na mesma ocasião, em entrevista que concedeu a emissoras de rádio de Mato Grosso, Dilma declarou que a conclusão da BR-163 até Santarém, no Pará, “está realmente muito próxima” e acentuou que um trecho pavimentado de 121 quilômetros deve ser entregue até o meio do ano que vem.
Para Jader Barbalho, se a conclusão da obra está próxima, como admite a própria presidente, não há justificativa para a exclusão do trecho que vai até Santarém. “O mais racional e inteligente é englobar no projeto a rodovia como um todo”, finalizou o senador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário