AJUDE O INSTITUTO GEM A EDUCAR AS CRIANÇAS NA PRESEVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE, P/ AJUDAR (93)8122-0233

AJUDE O INSTITUTO GEM A EDUCAR AS CRIANÇAS NA PRESEVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE, P/ AJUDAR (93)8122-0233

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Ida de Mato Grosso até porto vai custar R$ 786 para caminhão

Uma tonelada de soja é comercializada no Brasil a cerca de R$ 1.100

Com a licitação da BR-163, o produtor de soja pagará R$ 26 por tonelada só de pedágio para transportar o produto de Sinop (MT), um dos principais municípios produtores de soja do país, a Paranaguá (PR), uma das principais saídas para a exportação.

O ministro dos Transportes, César Borges, apresentou ontem a estimativa de gastos de R$ 786 com pedágios em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Paraná para um caminhão de seis eixos, que transporta 30 toneladas de soja.

O cálculo considera os descontos alcançados nas licitações e o valor dos pedágios cobrados hoje no Paraná. Pelas contas do governo, o produtor gastará R$ 147 com pedágio em Mato Grosso, R$ 255 em Mato Grosso do Sul e R$ 384 no Paraná.

Uma tonelada de soja é comercializada no Brasil a cerca de R$ 1.100.

Nos EUA, as despesas com o transporte da soja em uma extensão semelhante, de aproximadamente 2.000 quilômetros, são de R$ 35 a R$ 70 por tonelada, diz Carlos Fávaro, presidente da Aprosoja (que reúne produtores de soja de Mato Grosso).

Ele comemora, porém, os benefícios da concessão da BR-163 ao setor privado, como a melhora na qualidade da estrada e maior segurança no transporte.

Apesar do início da cobrança de pedágio na rodovia, ele não prevê alta no custo do frete. "O pagamento do pedágio vai compensar gastos com combustíveis e manutenção."


Editoria de Arte/Folhapress

Nenhum comentário:

Postar um comentário